domingo, 30 de dezembro de 2012

POSSUINDO A PROMESSA


Deleita-te também no SENHOR, e ele te concederá o que deseja deseja o teu coração.  
(Salmos 37:5).

No limiar da terra prometida estava Josué num verdadeiro vale da decisão. Depois de uma vida inteira no deserto, ao chegar no seu final Josué se depara com um imenso obstáculo. E com ele chega o desânimo, o medo e a ansiedade, que começava a tomar conta da sua vida e ditar o andamento das coisas ao seu redor.

Era o final do deserto e também o esgotamento de todas as forças e de repente, surge algo que não estava nos planos. Um imenso Jordão, separava Josué do sonho de Deus para sua vida. Josué sabia que deveria tomar uma decisão, porem ele não via nada que poderia ser feito.

Muitos pensamentos surgem neste momento, pensamentos derrotistas, desejo que alguém viesse ajudá-lo ou encorajá-lo, mas, naquele hora não apareceu ninguem. No momento que você mais precisa de um amigo você acaba ficando sozinho no meio do seu desafio.

Assim estava Josué, sem Moisés e quase sem o povo, sem a terra e sem ter para onde ir. E o povo já começava a se inquietar e logo se dispersar. Na sua frente um Jordão imenso, de águas turbulentas, e atrás um deserto de lembranças tristes. Josué praticamente passou a sua vida inteira no deserto e para lá ele não queria voltar.

Se a travessia do deserto foi uma prova difícil demais, o Jordão era impossível de se atravessar. Josué sabia que assim como o deserto chegou ao seu limite ele havia chegado no dele. E por onde quer que ele olhasse, não havia saída. 
Assim se encontrava Josué, olhando para o Jordão, sem ânimo e sem força para atravessá-lo. Como talvez você se encontra hoje, sem força em si mesmo e diante de um imenso rio de águas bravas bramando cercado por incertezas, medos e desencorajamento e totalmente solitário.

Sabe qual era a vontade de Josué, se esconder num lugar onde ninguém poderia achá-lo, um risort espiritual onde a paz acalentasse o seu coração. Mas, do lado de fora um desafio real e do lado de dentro as barreiras imaginárias desestabilizavam as suas emoções.

Amados, estamos no limiar de um novo ano, num vale de decisão. E antes do novo ano chegar a sua autoridade, paz e paciência já estão sendo testadas.   

Era neste inteirím, que se encontrava Josué e sem direção visível, quando Deus falou com ele. E disse o Senhor: “Moisés meu servo é morto, levanta-te....” (Josué 1:2).
O que quer dizer isto para nós? Moisés já era passado, ele não se encontrava mais ali. Não era hora de olhar para trás e nem para ninguém! E sim, prosseguir!!! E possuir a terra que o Senhor te dá! Para isto é necessário dar passos largos para a possessão da terra. 

O primeiro passo é deixar o passado no passado, não tentar desenterrar o que já morreu. Passado é passado!

O Segundo passo é "...levanta-te, pois, agora..." (Josué 1:2), isto quer dizer: Lenvantar-se para agir. Levante e toma uma atitude quanto ao teu futuro. Tira os teus olhos e os teus sentimentos do deserto. Olhe para a terra que Deus tem te prometido.

Terceiro Pisa na terra, essa terra é sua, e é o Senhor quem está te dando, comece a possuí-la. Coloque os teus pés nela com firmeza e a possua. "Todo lugar que colocar a planta do vosso pé, vo-lo dado..." (Josué 1:3).

Quarto: seja forte e corajoso e não desanime. Levante a tua cabeça, não olhe para os gigantes que tem lá e nem se canse de lutar, acredite de todo seu coração que haverá recompensa para o teu esforço e que você vencerá. "... esforça-te e tendo bom animo..." (Josué 1:6).
Persevere em crer, porque a terra que Deus tem para sua vida neste ano de 2013 é maior do que o deserto que você tem atravessado em toda  a extensão de 2012.

Hoje assim te diz o Senhor: Este novo ano que está nascendo será o ano mais diferente de todos os anos da sua vida. Este será um ano de edificar, implantar, empreender, será um ano de plantar e de colher, um ano de avanço e progresso na sua vida. Este será um ano de coisas grandes, um ano de possessão e multiplicação. Eu te abrirei as janelas dos céus e te darei posse dos tesouros da terra. Tirarei a amargura causada pelo extenso deserto que te coloquei e te farei grande e serei contigo. As minhas portas se abrirão para ti. Eu te exaltarei, te farei grande o teu nome. Transformarei a tua família e mudarei a tua sorte, e transformarei este  deserto um manancial de águas vivas.

Então só cabe a você entregar a tua vida ao Senhor Jesus e tudo Ele fará, a partir de agora junto com esta resposta você já verá também resultados!!! "Tenho começado a dar-te... começa pois a possuir" (Deuteronomio 2:31).

Feliz ano novo!!!!

Pr. Antonio Cesar Lopes









domingo, 23 de dezembro de 2012

ALTO REFÚGIO



Torre forte é o nome do Senhor; a ela correrá o justo, e estará em alto refúgio
 (Provérbios 18:10 ).

Cansado de fugir e a procura de paz e descanso, Davi se refugia no deserto na terra de Zife, nos lugares fortes, e lá permanece. Vamos falar um pouquinho sobre esta história que está em 1. Samuel 23:14-29 e ver o que podemos aprender com este difícil teste na vida de Davi.

Zife era uma região árida e montanhosa, uma terra totalmente inabitável, inóspita e tenebrosa. Lugar cujo os espinhos, pedras e seca contrastava com a linda visão e boa impressão  a distância. Porém, Davi não estava à procura de um oásis ao céu aberto, mas uma moradia segura onde o seu inimigo não conseguisse achá-lo.

Davi era vítima de uma perseguição implacável de Saul que não lhe dava trégua. Por pior que parece, foram estas perseguições que acabaram tornando Davi um homem completo, moldado no deserto e talhado pela dor.

Davi estava nas mãos do Senhor e por isso é que Deus não o entregava nas mãos de Saul, ou do destino. É sempre fundamental conhecermos as mãos nas quais estamos. 

Por mais que fosse difícil, o medo, os problemas, as dificuldades e tudo ao redor nada o abalava, mas suas lutas e problemas só o levaram para mais perto do Senhor. Quando as coisas estavam difíceis ele orava e chorava aos pés do Senhor!

Davi buscava um lugar forte, talvez para ter por um pouco que seja a tão desejada vida na linha da normalidade e tranqüilidade. Davi se acomodou entres os Zifeus. Mas, como a linha de conforto e segurança nunca foi o plano de Deus para quem anda com Ele, com Davi não poderia ser diferente.

O povo no meio de quem Davi foi se refugiar faria de tudo por um agrado do rei. E por isso as pessoas entregaram-o para o rei Saul, dizendo onde ele se encontrava e como pegá-lo. 

Quando Davi se vê totalmente apertado, ele ora desesperadamente em busca de alívio. Em Salmos 54:1-3 está registrado esta gloriosa oração de desespero e dor que Davi fez exatamente neste momento de sofrimento. 

Após a oração Davi foge procurando um escape daquela situação tão difícil que havia se levantado contra ele. Ele se desespera ao ver que o mal estava muito mais perto do que ele imaginava e que os Zifeus haviam o traído e que seu fim estava próximo.

De repente, Saul o rodeou pelo outro lado da montanha no caminho que ele seguiu e seus homens o cercaram alí. A opressão e o medo tomaram conta da situação e Davi não viu mais saída e nem uma solução. 

Sabe aquelas situações em que nós chamamos de um beco sem saída. Onde tudo se fecha para nós, e as dificuldades e problemas só aumentam. Era assim que Davi se sentiu ao ser cercado pelo exercito de Saul.

Porém, exatamente no final chegou o livramento, alguém dizia: "os filisteus deram com ímpeto na terra...". Nesta hora a alegria se tornou tristeza e desespero. Tanto Saul quanto seus homens deixaram Davi e voltaram pelo mesmo caminho que saíram contra ele.

Davi deu o nome daquele lugar de Hamá-semalecote, que significa "Pedra de escape" ou "Pedra de divisão" por que o Senhor lhe deu uma grande livramento.

Queridos, talvez hoje você esteja olhando para trás e esteja  dizendo: Que ano difícil e tão duro foi este ano. Meu Deus pensei que eu não fosse agüentar. As lutas me cercaram por todas as partes, na família, no trabalho, na área financeira, as decepções, sonhos frustrados e percas e situações diversas que te angustiaram o coração.

Por pior que possa ter sido todo este tempo em Zife ele foi o término de uma etapa importante na preparação de Deus na vida de Davi. As angústias e todas as agonias que Davi passou foram necessárias para que depois de tudo isso ele pudesse em fim assumir de vez o trono que Deus havia lhe  prometido. 

Deus sabia tudo que Davi iria passar, pois este era um dos últimos testes antes dele herdar o trono. O Senhor já sabia de antemão tudo que você passaria durante todo estes 365 dias de dura prova no deserto que Ele te colocou. 

O Senhor te diz: Confia em mim, Eu Sou a tua Pedra de Escape a tua Torre Forte, o teu Alto Refúgio e o teu Deus Todo Poderoso. E sei o que você esta passando. Eu serei contigo e te darei descanso. Saiba que tenho mais do que um ano novo para ti, tenho um novo começo, novos desafios, oportunidades e vitórias, novos milagres e novos sonhos a serem realizados e nova alegria na família. Multiplicarei tudo que tenho te dado e até o que ainda não recebeste, e diante de ti farei cair todos os teus injuriadores, pois serei contigo de uma extremidade até a outra do novo ano que Eu já preparei para te abençoar. Confia em mim!

Deus te abençoe hoje ricamente em nome de Jesus!

Pr. Antonio Cesar Lopes




quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

QUANDO AS FORÇAS SE ACABAM



"Porque, há esperança para árvore, pois, mesmo cortada, ainda se renovará, e não cessarão os seus rebentos. Se envelhecer na terra a sua raiz, e no chão morrer o seu tronco ao cheiro das águas brotará, e dará ramos como planta nova"
 (Jó 14:7-9).

Existem momentos na vida que somos surpreendidos por  verdadeiras ondas de problemas, perseguições e dificuldades que se levantam contra nós. Desorientados e perdidos buscamos uma saída, porém a força do vento bate contra nós,  e nos empurra fortemente para trás tentando nos fazer desistir de lutar.

Estes são aqueles momentos que a nossa alma se debate dentro de nós. Uma verdadeira batalha é travada  no nosso interior. À procura de uma palavra que nos traga paz ou uma solução imediata que nos tire da angústia nada encontramos se não lutas e contrariedades.

Numa certa noite de céu aberto e estrelado, imagino eu, entrava Jesus com seus discípulos num barco. Tudo estava tão tranqüilo que ele se acomodou na popa do barco enquanto os discípulos seguiam na embarcação. Porém, logo que eles entraram em alto mar, uma tempestade horrível se levantou, levando-os quase ao naufrágio (Lucas 8:22-25).

De nada adiantou a experiência de Pedro, Tiago e João que eram navegadores profissionais. As  fortes rajadas de vento, levava-os a perder a esperança de salvação.
De repente, se ouve alguém gritar: "...Mestre Mestre, estamos perecemos..." (Lucas 8:24). Este é aquele conhecido grito do desespero. Isto acontece quando o sofrimento chega a um ponto que não dá mais para suportar. 

O Senhor se levantou e repreendeu a força do vento e logo se fez bonansa e lhes perguntou: " onde está a vossa fé?" (Lucas 8:2).

Nestes momentos de sofrimento, a dor tenta nos paralisar e nos fazer desistir de acreditar e de lutar pelo que cremos. 

Nesta hora a única alternativa que vemos não é outra se não aceitar o problema e se consolar com a derrota. 

É exatamente como aquela árvore que mesmo vendo o furacão e a força do vento se aproximar e com poucas chances de subsistir, ela espera para ver se estará de pé ou não depois que tudo passar.
Mas, há uma esperança até mesmo para esta árvore, diz a Palavra do Senhor: "Porque, há esperança para árvore, pois, mesmo cortada, ainda ser renovará..." (Jó 14:7). 

Imagina como aqueles homens dentro do barco lutaram até não ter mais forças. Viram a morte chegando e sua voz negra sussurrando nos seus ouvidos: acabaram-se as esperanças agora se preparem, pois chegou o fim.

Olheremos para o que Deus diz. E o que Ele diz? Preste atenção: 

"Portanto não temeremos, ainda que a terra se mude, e ainda que os momentos se transportem para o meio dos mares. Ainda que as águas rujam e se perturbe, ainda que os montes se abalem pela sua braveza, há um rio cujas correntes alegram a cidade de Deus, o santuário das moradas do Altíssimo. Deus está no meio dela; e ela jamais será abalada. Deus a ajudará já ao romper da manhã” (Salmos 46:2-5).
Deus tem bons pensamentos para o seu futuro, não tenha medo e não desista de lutar. "Eu é quem sei os pensamentos que penso a vosso respeito diz o Senhor, pensamentos de paz, e não de mal, para vos dar o fim que desejais.” (Jeremias 29:11). 

Você não está travando esta luta porque Deus se esqueceu de você. Nem sempre é porque você cometeu um pecado tão grande que tenha que pagar por isto agora. Talvez não seja nem por causa de uma decisão errada que você tenha tomado na vida. 

Mas, sim porque: "E todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam e servem a Deus e são chamados segundo o seu propósito" (Romanos 8:28). Deus te ama e Ele fará com que tudo no final seja para que o nome dEle seja glorificado através de sua vida. Não temas!

O Senhor sempre te socorrerá, sempre te livrará da força dos ventos, Ele te esconderá no seu abrigo e te guardará como a menina dos seus olhos, e essa tempestade não vai te atingir.
Talvez hoje você esteja enfrentando uma grande tempestade na sua família, um vento forte batendo e soprando contra sua casa levantando tudo que está ao seu redor. Talvez no seu trabalho, ou na área financeira, na saúde ou emocional.

O inimigo hoje tem dado uma dimensão exagerada para os nossos problemas, fazendo nos acreditar que não podemos vencê-los e que Deus não vai nos ajudar. Neste momento você está tentando olhar para o tamanho e a força dos ventos e pronto para desistir. Talvez você está colocando sua fé naquilo que surge a sua frente e não está confiando no Senhor. 

Se por um lado não podemos olhar para os problemas, por outro não devemos confiar na aparência de tranqüilidade do tempo. Pois tudo pode mudar a qualquer momento e uma nova luta pode te surpreender novamente. Mas, olhe e confie no Senhor, o autor e consumador da sua fé, Jesus Cristo.

Quando as nossas forças se acabam é hora de usar a sua fé e a autoridade que o Senhor te deu para mandar os ventos pararem e a tempestade ir embora. Não na tua força, mas na força do Senhor ordene agora sobre a esta tribulação: sai da minha vida e da minha casa em nome de Jesus!!! E os ventos e a fúria das águas te obedecerão em nome de Jesus!

A oração do justo pode muito em seus efeitos, creia pois Deus já ouviu o seu clamor e também já tem entrado com providencia na sua causa. Ele tem o controle desta tempestade que só te levará mais perto do Seu coração e da Sua vontade para sua vida, em nome de Jesus! Descanse no Senhor, persevere em oração e adore ao Seu nome, pois a paz voltará e os teus sonhos se realizarão, para glória do nome do Senhor Jesus!


Pr. Antonio Cesar Lopes



terça-feira, 4 de dezembro de 2012

O TEMPO DA EXALTAÇÃO



"Sabemos que todas as coisas concorrem para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito" (Romanos 8:28).

Não existe um dia igual ao outro, há diferença entre uma noite e a outra noite. Assim é a vida, tudo muda e tudo pode mudar a qualquer momento. No mesmo dia podemos amanhecer lá em cima do topo e no mesmo dia no vale. As coisas ao nosso redor mudam drasticamente, pois até mesmo o vento muda de direção. Assim é a vida, nada é estável, nada é permanente.

Pensando nisto me vem a mente a história de José, o filho de Jacó, o patriarca de Israel. José era o filho preferido de seu pai, ele alcançou este status porque em tudo José era prudente e agradava ao seu pai. Por sua vez os seus irmãos mais velhos eram maus e entristeciam o coração de Jacó.

Muito cedo na vida José conheceu a agonia de ser desprezado e maltratado no seu próprio lar, sendo ele vítima da inveja dos seus próprios irmãos. Ele teve que lidar com esta situação totalmente desconfortável durante muitos anos em sua vida.  Até o dia em que eles o abateram de vez, levando-o a completa humilhação.

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

O GIGANTEN DE CADA DIA


Em uma das mais belas histórias do Antigo Testamento temos o relato da maior luta de todos os tempos. Um experiente guerreiro lutou contra um menino que cuidava das ovelhas de seu pai e por acaso  havia chegado no acampamento de guerra. A batalha entre Israel e os filisteus se transformou na luta entre Davi e Golias. 

O gigante chamado Golias que lutava do lado dos filisteus usava uma armaduras de bronze que o cobria dos pés à cabeça. Ele trazia consigo uma imensa lança, espada, seu escudo e sua larga experiência de lutas. Por sua vez, o garoto chamado Davi que trazia consigo cinco pedras, um estilingue, seu cajado, seu Deus, sua fé e a unção que receberá para reinar sobre seu povo. 

O seu desafio era impossível, mas na frente de Daví havia um Deus Todo Poderoso que nunca abandona,  nunca falha e nunca desampara.

O gigante pedia um homem para lutar contra ele. Todos os soldados de Israel foram treinados para lutar em grupo, combater outro exército, obedecer comandos. E não colocar homens para lutar homem a homem numa disputa com lutadores profissionais.   O gigante os insultava insistentemente e após 40 dias de humilhação, eles se encontravam totalmente arrasados.
Logo pela manhã, quando o exército de Saul o rei de Israel se punha em posição, a tormenta começava. O gigante impos sobre eles uma grande pressão psicológica, os humilhando e minando suas últimas forças. (1 Samuel 17:8-10).

Os filisteus estavam apostando no cansaço de Israel diante da sua incapacidade de enfrentar aquele imenso desafio. Israel só tinha duas saídas, se entregar sem maiores danos para si próprio ou acreditar numa providência divina. 

A pedido do seu pai, Davi foi até o campo de batalha para ver seus irmãos. Chegando lá, ele ouviu os berros do gigante humilhando o povo de Deus. Neste momento o Espírito do Senhor se apoderava dele assim como nos velhos tempos de Sansão. O seu sangue ferveu dentro dele, fazendo com que seu corpo fosse tomado por uma força sobrenatural.

Davi perguntou: "O que darão para aquele que ferir este filisteu e tirar a afranta de israel". Depois, ele se prontificou a lutar e foi apresentado ao rei.

Antes de continuarmos vamos dar uma pequena pausa para analisar a desonesta e maldosa estratégia dos filisteus.

1. Forçar uma mudança repentina obrigando-os a ajustes.
2. Apresentar um elemento surpresa não lhes dando chance de reação.
3. Fazer grande pressão psicológica para acabar com suas forças.

Tudo isto no tempo em que eles enfrentaram a maior batalha da vida deles, se não bastasse o estresse da guerra em si, agora tinham que lidar com uma repentina  mudança, um terrível gigante que surgiu e tudo isto debaixo de grande pressão.

Logo que Davi se ofereceu para lutar, o seu irmão mais velho começou a afrontá-lo e ferí-lo com palavras desmoralizadoras. Davi se desviou dele e foi falar com o rei. Um conselho "não fique preso ao irmão que te ofende, não é ele a sua luta, você foi chamado para lutar com gigantes e não com o irmãozinho, não entre em batalha errada, não perca o alvo, isto é desvio de foco!"

Davi não causou boa impressão no rei, porém, ele não se deixou levar pelas palavras e nem pela visão de quem quer que seja a seu respeito. Ele já havia sofrido um bucado na vida, foi treinado num terrivel e solitário deserto, matando ursos e leões para sobreviver.
O gigante Golias era muito forte e suas palavras tinham poder destrutivo. Mas, Davi era ungido pro Deus e suas palavras eram mais forte que as palavras do gigante. Golias correu ao encontro de David como louco e David correu em direção à Golias como se fosse esmagá-lo debaixo dos seus pés. Davi matou o gigante e consolidou a vitória ao cortar-lhe a cabeça com a espada do próprio gigante.  

Agora o que podemos aprender com Davi:

1. Há uma recompensa para a sua luta no Senhor.
2. Há um propósito de Deus para sua vida neste lugar.
3. Não se enxergue segundo os olhos dos outros.
4. Não viva das experiências dos outros.
5. Não vista as armaduras dos outros.

Conclusão:

A cada dia temos um gigante para vencer. Talvez você esteja agora enfrentando um grande e terrível gigante em alguma área da sua vida. Talvez seja um sentimento de incapacidade, medo, dúvida,  ansiedade ou um gigante da culpa. Talvez o gigante da afronta, humilhação ou das portas fechadas. Pode ser que tenha se levantado um gigante dentro da sua casa ameaçando a sua família, talvez no seu emprego, na área financeira e emocional ou na saúde. E isto tem te abatido muito e tem te feito perder as suas forças.

Ainda você precisa invocar o nome do Senhor em cada área da sua batalha. Não fuja do seu gigante, mas no nome de Jesus vai para cima dele, acerta ele de vez e depois corte-lhe a cabeça. Para que ele não se levante nunca mais contra a  sua vida. As vezes precisamos fé, mas só fé não basta se não tivermos ousadia de fazer aquilo que sabemos que Deus está nos mandando fazer. Vai e o Senhor será contigo. No nome do Senhor Jesus o teu gigante cairá hoje, o teu gigante de cada dia será também a tua vitória de cada dia, para a glória do nome do Senhor!

Deus te abençoe em nome de Jesus!

Pr. Antonio Cesar Lopes

terça-feira, 20 de novembro de 2012

O CONFORMISMO


"E não sedes conformados com este mundo, mas sedes transformados pela renovação do vosso entendimento…" (Romanos 12:2).


Chega a ser patético ver um elefante preso por uma infíma corrente de aço amarrada nós seus pés. Um animal cuja força bruta levaria esta corrente a ser comparada a uma linha de algodão. No entanto, se submete aquela prisão. Sabe por que? Porque ele foi submetido a ela desde pequeno. Sem noção da sua força e capacidade ele não se incomoda em testá-la. A corrente de aço já não está nos seus pés, mas sim entrelaçada a sua mente o conformando a aceitação.

A falta de coragem de lutar e de enfrentar a vida e seus desafios tem levado muitos ao status de conformistas. Muitas pessoas perderam a oportunidade de dar a volta por cima e de experimentar viver nos lugares altos, devido o medo de cair, quebrar, de não dar certo e de se envergonhar depois. Esquecendo-se eles  que lutar é a única esperança de alcançarmos êxito nas batalhas da vida e ter vitórias em níveis sólidos e consistentes.  

Numa sinagoga havia uma mulher paralítica há 18 anos, ela vivia curvada e não podia se endireitar. Jesus vendo-a à trouxe para o centro do auditório  e impondo-lhe as mãos a curou. Ela não pronunciou uma palavra sequer. Isto me levou refletir sobre o silencio e a passividade desta mulher. Ela não disse nada. Sabe porque? Porque ela já não se incomodava com o seu problema. Ela cansou de lutar, tá tudo bem, tá tudo bom. (Lucas 13:10-17).

Amados, não podemos perder coragem de tentar, de lutar, de vencer e perder também. Para que não venhamos experimentar o amargo gosto na lembrança do tempo em que algo poderia ter sido feito algo que mudaria tudo ao nosso redor e não tivemos suficiente coragem de fazer. E é justamente por isso que muitos hoje estão apoiados na plataforma do conformismo. 
É nas grandes massas onde se concentram os conformados. Estes são os mesmos que transitam para lá e para cá de um lado para o outro, sobem e descem todos os dias. Eles vivem segundo os mesmos princípios e andam na mesma direção. Eles já não tem forças para reclamar, para questionar e nem vontade de pensar diferente e nem olham para outra direção. Estão amordaçados e vencidos e não se importam de não fazer diferença. Eles precisam de alguém que pensa por eles e são apenas mais um na multidão. Vivem em busca do que é cómodo. São galinhas ou gansos que nunca serão águias. 
Eles se conformaram com a vida, se conformaram com os problemas, se conformaram com a corrupção e se conformaram com suas próprias desventuras. Estão totalmentes sem força e sem reação. Eles olham mas não enxergam, estão anestesiados e encantados. Vou usar um ditado popular que ouvia muito na adolescência "eles estão do jeito que o diabo gosta."

A Bíblia relata a história da invasão e estabelecimento dos danitas na terra de Laís, eles venceram aquele povo sem muita dificuldade, sabe por que?  É fácil, olha como a Bíblia descreve este povo: "...havia um povo quieto e confiado…" (Juízes 18:17). Este é o retrato de um povo mutilado. Aos quais há muito tempo foi amputado a noção do perigo e o desejo de vencer. Eles se alimentavam de pão e diversão.

Havia no poço de Betesda um  homem paralítico há 38 anos. Jesus, cheio de compaixão, lhe perguntou: "Queres ficar são?" Por incrível que pareça ele não diz que sim, mas ao invés disso ele conta uma longa história para Jesus. Sabe por que? Porque ele tomou a forma do ambiente que ele vivia, não era apenas ele que estava ali há 38 anos, mas aquele lugar estava dentro dele. E ele sabia que teria que fazer esforço imenso para se remover dali. (João 5:1-9).
Já o cego Bartimeu enfrentou a furia dos homens que queriam silenciar a sua voz. Eles diziam: Fique quieto e não incomode o mestre. E quanto mais tentavam silenciá-lo, mais alto ele gritava. A inconformação de Bartimeu atraiu a atenção de Jesus para ele. Jesus lhe perguntou: o que queres que te faça? Imediatamente ele respondeu: eu quero ver, Senhor! E Jesus lhe respondeu: "Então veja!" (Marcos 10:46-52).
Queridos, o apostolo Paulo diz insistentemente para os romanos assim: "Rogo-vos pelas misericórdias e compaixão de Deus, não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação do vosso entendimento." Se cabe uma interpretação desta palavra eu daria a minha própria: "rogo-vos pelo amor de Deus, não se conformem". 

Antes de declarar a derrota tente novamente, procure outra alternativa, lute até não ter mais forças para lutar.

Não se entreguem a dificuldade, se conformar é aceitar a derrota, a perder a única chance de virar o jogo e reverter tudo ao seu favor.

Lute mais uma vez, tente novamente, insista, dobre o seu joelho no chão e ore, clame ao Senhor, se quiser chore, mas depois levante-se e bata mais forte, tente novamente, vai dar certo, confia! Em nome de Jesus!

Deus te abençoe em nome de Jesus!

Pr. Antonio Cesar Lopes

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

A ÂNCORA DA ALMA

"... a esperança da vida eterna é como um refúgio é para a alma uma âncora firme, que nos mantém ligados a Deus no santuário mesmo da sua presença" (Hebreus 6:18-19).

O impossível se abria diante dos seus olhos. As cadeias que o prendia era a mesma que Deus usara como o meio que o conduzia para sua grande vitórias. Paulo iria testemunhar Cristo diante de César. 

No capitulo 27 de Atos dos Apóstolos vemos o dramático relato do naufrágio sofrido pelo apostolo Paulo no caminho à Itália. A sombra da morte surgiu como uma nuvem perseguidora e os atemorizava dentro daquele barco que estava prestes a naufragar. 

Os ventos vieram em forma de tempestades em alto mar, açoitando o barco e levando a tripulação ao desespero. A tempestade pirou se transformando em terrível furacão cujo impacto causado tirou a última esperança e tudo só apontava para o fim.

No meio dos barulhos ensurdecedores de raios e trovões, da força do vento e das gigantescas ondas que se levantavam no meio do mar, ali estava o apostolo Paulo. Ele estava com uma missão revelada no espírito e muitos questionamentos em seu coração.
O que está acontecendo comigo? Por que estou neste barco? Será que tomei a decisão certa? Talvez eu deveria estar em outro lugar agora, fazendo outra coisa.

Talvez você esteja vivendo alguma situação difícil hoje. No meio das tempestades e todo barulho ao teu redor, os questionamentos tem surgido.

"E, não aparecendo, havia já muitos dias, nem sol nem estrelas, e caindo sobre nós uma não pequena tempestade, fugiu-nos a esperança de nos salvar-nos" (Atos 27:20).

É natural que quando passamos muito tempo no sofrimento e não vemos nenhum sinal de Deus o sofrimento aumente e a esperança diminui.  "... não havendo nem sol nem estrelas, fugiu-nos a esperança...". Isto pode acontecer conosco quando a tempestade conjugal se forma sobre nós, quando os ventos contrários sopram contra a nossa vida, espiritual, emocional, financeira, profissional ou ministerial. 

No Salmos 46 a Palavra do Senhor garante que a noite tempestuosa passará e o Senhor nos ajudará ao romper da manhã. Entenda isto e espero que entre no teu espírito: vai amanhecer para você também. Não existe noite escura ou tempestade que dure para sempre, "o choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã" (Salmos 30:5).

Não quero questionar se está demorando ou se vai demorar. Atravesse este momentaneo processo, confiando em Deus. Entregue a Ele tudo em oração. Não sei quanto tempo isto vai durar, mas sei que muito em breve esta tempestade vai passar, por que o Senhor é Deus e sua Palavra é provada. O Todo-Poderoso é imutável e suas promessas são fieis. 

Repare no que o Senhor disse para Paulo: "Porque esta mesma noite o anjo de Deus, de quem sou, e quem sirvo, esteve comigo. Dizendo: Paulo, não temas; importa que sejas apresentado a César, e eis que Deus te deu todos quantos navegam contigo. Portanto, ó senhores, tende bom animo; porque creio em Deus, que há de acontecer assim como a mim me foi dito"  (Atos 27:23-25).
Amados, se você está no meio de uma tempestade, hoje o Senhor te diz: Não tenha medo, importa que se cumpra o que  tenho te prometido, o caminho e o meio não vão alterar os planos que tenho para sua vida. 

Ancore a sua alma e a sua fé em Cristo Jesus e confie nele pois vai amanhecer, e tudo acontecerá como Ele tem te dito que vai acontecer. Em nome de Jesus!

Deus te abençoe em nome de Jesus!!!


Pr. Antonio Cesar Lopes







quarta-feira, 24 de outubro de 2012

QUEM É ESTA QUE SOBE DO DESERTO


"Quem é esta que vem subindo do deserto encostada ao seu amado?" (Cantares 5:8).


O livro de cantares de Salomão fala sobre a linda história de amor entre o rei Salomão e a Sulamita. Entre elogios e os mais ricos e profundos poemas de amor encontramos um rei apaixonado abrindo o seu coração para a sua amada. O livro declara o seu cuidado, a sua atenção, os seus sentimentos e paralelamente a vida, os sonhos, as incompreenções, lutas e tribulações sofrida pela sua amada. 

A amada vinha subindo do deserto encostada ao seu amado. Ele foi buscá-la no vale da solidão e a encontrou. Depois de praticamente desprezar o seu amor e trocá-lo por um pastor que surge para roubar a sua atenção, ela foi encontrada sozinha e abandonada. Mas, ele não se esqueceu dela um momento se quer. Como um valente que corre de  uma extremidade a outra assim ele sai saltando pelos montes como uma corsa a procura de sua amada. Pois ele a ama incondicionalmente. Sua aparência já não era a mesma: magra, visivelmente desnutrida e acabada e com a pele outrora branca como neva agora sua pele queimada pelo sol. Mas, ele a ama incondicionalmente. Ela reconhece o seu amor e lhe declara sua fidelidade e diz "eu sou dele e ele é meu".

Ela estava sofrendo, exposta ao sol e ao frio, aos perigos da noite, ao medo e a solidão. Quase que sem força ainda lhe restava a esperança que seu amado não a esqueceria. A sua provação chegava ao limite, sua vitalidade se esvairia e sua dor era inconsolada. Neste momento chega o amado, ele vem saltando pelos montes, correndo ao encontro de sua amada e a encontra desfalecida de tanta dor. A acolhe em seus bracos, a cobre com seu manto e a alimenta com o seu amor. Ele a encoraja e a fortalece. Escolhida, restaurada, honrada e realizada ela se renova e sobe com ele, que lhe abre um caminho no deserto e rega sua alma com o seu amor.


O deserto é um lugar de solidão, abandono, rejeição, medo, sol e frio, perigos constantes. O deserto é um lugar de provação, um lugar onde sabemos como entramos, mas não podemos imaginar como sairemos. Nele sofremos o vazio, as dores e as maiores percas, rejeições, traições e angustias de nossas vidas. Nele nossa esperança é provada, mas a verdadeira esperança, a fé e o amor nunca se acabarão realmente. Pois, elas são dadas por Deus e restauradas pelo Senhor.

O Senhor te ama incondicionalmente, quando voce o chamar ele virá saltando pelos momentes. Ele irá até o deserto que você se encontra hoje, tomará em suas mãos, provará o seu amor, te cobrirá com o seu manto, te fortalecerá, te limpará e te curará com o seu amor, pelo seu Espírito e pela sua Palavra. Ele te restaurará e te renovará e te trará de volta aos tempos da alegria, fartará a tua alma e realizará o desejo do teu coração. O teu deserto passará, o inverno passará e o tempo de cantar esta desabrochando como as flores da primavera diante de ti.

Os teus injuriadores não poderão acreditar quando te verem subindo, pois você subirá. Pois, o Senhor te apoiará nele, somente nele você se encostará e dependerá. Eles verão a tua glória ao olharem para o cortejo majestoso que vem após ti na sua entrada triunfal com bandeiras e carruagens como uma rainha cortejado e apoiada na destra do rei e dirão: "quem é esta que vem e que sobe do deserto encostada ao seu amado". 

Deus te abençoe em nome do Senhor Jesus!

Pr. Antonio Cesar


domingo, 30 de setembro de 2012

TUDO VAI MUDAR



“Apareça a tua obra aos teus servos, e a tua glória sobre seus filhos. Seja sobre nós a graça do Senhor, nosso Deus; confirma sobre nós a obra das nossas mãos. Sim, confirma a obra das nossas mãos.” (Salmos 90: 16 e 17).

Ao longo dos anos a vida vai se passando e somos tendenciosos a pensar que nada de tão significativo tem acontecido. Olhar para o tempo que passou começa a dar certo desespero, especialmente quando a melhor parte da vida supostamente mais produtiva já tem se passado. As dificuldades começam a chegar, o tempo vai ficando escasso, as boas oportunidades desaparecem e não há também tanto gás para virar o jogo tão radicalmente. Neste tempo a vida começa a parecer monótona e o inimigo da insignificância dos dias começa a cercar a nossa alegria. E a desistência vai aos poucos se tornando uma opção bem provável. Tudo vai perdendo o significado; neste momento crucial da vida de Moisés ele orava:

“Sim, confirma a obra das nossas mãos.”

Confirmar quer dizer: “dar significado, tornar permanente.” A idéia é a seguinte: “Fazer que eu veja minhas obras como sendo cheias de significado. Em vez de pensar que meus dias são tão fúteis como a tarefa de esvaziar cestos de papeis, ajuda-me, Senhor, a ver o significado de meus dias à luz do teu plano.” Quando Deus confirma as obras das nossas mãos, ajuda-nos a enxergar o valor da rotina, a importância das coisas que antes considerávamos mundanas - sempre a mesma coisa. (Charles Swindoll no livro: Como Viver Acima da Mediocridade).

Como é importante vermos significado nas obras das nossas mãos. Isto vai gerar muito mais satisfação e conseqüentemente frutos. O problema é que somos tentando a ver com desprezo aquilo que fazemos, ou não darmos o real valor que realmente tem. As vezes outros tem que nos dizer que o que fazemos é importante e maravilhoso. E corremos o risco de olhar com ceticismo para as obras das nossas mãos e ao não ver grandes resultados acabando enxergando tudo com desprezo.

Isto acontece justamente quando caímos na rotina, e a rotina nos mata. Ela mata o que há de mais importante em nós, a sede por desafio. Quer dizer, aquilo que exige o máximo de nós para ser Alcançado. É neste momento que caímos no círculo vicioso e mecânico da vida onde a sufocante monotonia nos encontra. E atinge-nos nas áreas de mais estruturais da vida, como casamento, trabalho, chamado, estudos, etc. Neste caso o tempo se torna nosso inimigo e o desgaste seu aliado.

A monotonia pode se apresentar como um agente designado para fazer a vida enfadonha e desgastada. Porém existem algumas pessoas que conseguem fazer da vida chata e rotineira, um espetáculo de novidade e satisfação.

Precisamos saber que a vida rotineira só é desgastante quando nos amoldamos a ela, porém quando usamo-la como o palco de grandes acontecimentos, tudo muda. Ao invés da insatisfação vamos descobrir Deus na rotina dos nossos dias e saber que Ele está no controle dela também.

Imagino como Moisés se sentia neste momento que já ia para mais de 30 anos no mesmo deserto. Era enfadonho: as mesmas tarefas, mesmos problemas, mesmos conflitos, isto parece até com a vida de algumas donas de casa. Assim era o lugar onde Moisés se encontrava naquele exato momento. Ele pedia algo novo para Deus, algo que pudesse mudar toda a sua ameaçadora rotina. E ele acertou ao orar para Deus fazer sua rotina mais interessante, ao invés de pedir para que Deus tirasse-o da rotina, que é o que muitos de nos fazemos. Não era a rotina o problema, e sim a ótica com que nós a enxergamos. Lembra de um dos estudos onde Moisés pede a Deus para ver a vida de forma mais significante ao fazê-lo enxerga-lá como o Senhor a vê?

Talvez seja a hora de você observar melhor a vida e os anos que estão passando diante de ti. E começar a encontrar neles maior satisfação e significado para prosseguir no caminho que Deus traçou para te fazer bem. Para que no futuro ao olhar para trás você consiga ver como tudo foi tão gratificante e maravilhoso. Isto acontecerá, ao enxergar a mão de Deus em todos os aspectos da tua vida e ao vê-lo em cada pedaço do seu deserto que hoje não é tão agradável como você gostaria que fosse. No entanto, é mais do que necessário para o seu futuro. Mas, para isto acontecer você precisa fazer como Moisés, pedir urgentemente que Deus “confirma sobre nós a obra das nossas mãos. Sim, confirma a obra das nossas mãos.” Faz tudo mais significante, Deus!

Hoje por pior que pareça a mesmice da vida, esta é a forma que Deus quer trabalhar na sua vida e te ensinar a crescer e prosperar no tempo da dificuldade. Pois o grande e extenso deserto das nossas vidas é o melhor lugar de semeadura, e não há um lugar mais fértil para a espécie de semente que temos para semear. Você precisa aprender a semear no tempo da dificuldade para colher no tempo da bonança. Pois, “os que com lagrimas semeiam, com jubilo ceifarão” (Salmos 126:5). O dia em que tudo vai mudar está chegando, mas enquanto isto não acontece, ao invés de reclamamos vamos semear no nosso futuro. E Deus sim confirmará as obras das tuas mãos a sua glória virá sobre ti e tudo vai mudar, em nome de Jesus!

Deus te abençoe ricamente em nome do Senhor Jesus!

Pr. Antonio Cesar Lopes